JNO - Jornal de Nova Odessa - page 3

TERÇA-FEIRA, 19 DE FEVEREIRO DE 2019
PÁG. 3
» EDUCAÇÃO
Da Redação
APrefeituradeNovaOdes-
sa, pormeio da Secretaria de
Educação, está ampliando o
atendimento especializado
a alunos com autismo e de-
ficiência intelectual. A partir
demarço, quatro novas salas
entram em funcionamento
na rede, elevando para 12 o
número de espaços dedica-
dos à educação inclusiva e
aumentando de 90 para 140
alunos atendidos.
As novas salas de aten-
dimento especializado vão
funcionar na Emef (Escola
Municipal de Ensino Fun-
damental) Paulo Azenha, na
Vila Azenha, duas na Emefei
(Escola Municipal de Ensino
Fundamental e Educação
Infantil) Simão Welsh, no
jardim Santa Rita 2, além de
uma sala de itinerância, que
se deslocará para o atendi-
mento na rede, conforme a
necessidade.
Com a nova sala, a Emef
Paulo Azenha - que concen-
tra o atendimento de alunos
com autismo no município
- contará com duas salas es-
pecializadas. A abertura dos
Cidade
espaços levará o atendimen-
to à Emefei Simão Welsh,
com foco em crianças com
deficiência intelectual, além
de criar uma sala itinerante.
A secretária de Educação
de Nova Odessa, Claudicir
Brazilino Picolo, destacou a
complexidade da estrutura
dedica à educação inclusiva
no município. “Nosso aten-
dimento é personalizado,
individualizado e voltado à
aprendizagem da criança”,
explicouClaudicir. “Às vezes,
o mesmo problema exige
atendimentos diferentes”.
A estrutura da rede mu-
nicipal ainda conta com o
Núcleo de Atendimento Psi-
copedagógicoeumcentrode
atendimento na Apae (Asso-
ciação de Pais e Amigos dos
Excepcionais), que oferece
atendimentomultidisciplinar
com fonoaudiólogos, psico-
pedagogos, psiquiatras e te-
rapeutasocupacionais.“Esses
órgãos são fundamentais na
identificaçãodasdeficiências
e no encaminhamento ne-
cessário para cada criança”,
explicou Claudicir.
AlémdaApae,aPrefeitura
mantém convênios com o
CPC (Centro de Prevenção
à Cegueira) de Americana,
A partir de março, quatro novas salas entram em funcionamento na rede
para atenção a alunos com
perda visual e o Disapre (La-
boratório de Pesquisa em
Dificuldades, Distúrbios de
Aprendizagem e Transtor-
nos da Atenção), da Uni-
camp(UniversidadeEstadual
de Campinas). As outras
salas especiais funcionam
nas Emefs Augustina Maria
Adamson, no Jardim São
Jorge;SalimeAbdo,noJardim
Alvorada; e Dante Gazzetta,
no Centro.
AguinadadeNovaOdessa
na educação inclusiva teve
início em2013, primeiro ano
da gestão do prefeito Ben-
jamim Bill Vieira de Souza.
“Quando iniciamos o traba-
lho, omunicípionãocontava
com nenhuma sala, apesar
de o programa federal existir
desde2003”, contaClaudicir.
“Nós fomos a Brasília, fize-
mos todo processo de regu-
lamentaçãoeestruturaçãodo
serviço e começamos no ano
seguinte, com duas salas”,
lembra a secretária.
No ano passado, a secre-
taria fechou o ano com oito
salas especiais de atendi-
mento especializado, com
90 alunos atendidos. O in-
cremento de novas salas em
2019permitiráoaumentode
55,5%nonúmerodecrianças
atendidas.Todascontamcom
transporte custeado pela
prefeitura e todas as etapas
doatendimentosãoacompa-
nhadas pela família.
Compõem a equipe mul-
tidisciplinar de educação
especial da Secretaria de
Educação de Nova Odessa a
psicopedagoga Ana Claudia
DextroMauerberg, asprofes-
soras Ariana Regina das Do-
res, especialista em autismo;
Rita de Cássia Alves Matuda,
pedagoga especializada em
deficiência intelectual; eElai-
Prefeitura criamais 4 salas de educação
especial e passa a atender 140 crianças
ne Pin Torricelli, pedagoga
especializada em deficiência
intelectual e neuropsicope-
dagogia. “É um trabalho de
formiguinha. São pequenos
avançosnodiaadia,masque,
para a criança, são grandes
conquistas”, definiu Ariana.
RECONHECIMENTO
A excelência de Nova
Odessa em educação espe-
cial foi reconhecida no ano
passadopeloprojetoDiversa,
iniciativadoInstitutoRodrigo
Mendes, em parceria com
o Ministério da Educação,
em apoio a redes de ensino
dedicadasaoatendimentode
estudantes com deficiência.
Nova Odessa foi escolhida
dentre 17 projetos inscritos
em todo país. O Instituto
Rodrigo Mendes é uma or-
ganizaçãosemfins lucrativos
que desenvolve programas
de educação inclusiva des-
de 1994. Ao longo de sua
história, se aproximou da
realidadedasescolaspúblicas
brasileiras e iniciou um pro-
gramadeformaçãocontinua-
da,desenvolvidoemparceria
comsecretariasdeeducação.
Arquivo / JNO
› CONCURSO PÚBLICO
A Prefeitura, por meio da Diretoria
de Recursos Humanos, está con-
vocando 22médicos aprovados no
concurso público 01/18.
{Pág. 04}
› VISITA
Campeão olímpico de vôlei
André Heller estará em Nova
Odessa nesta quarta-feira.
{Pág. 05}
› É CAMPEÃ
Lutadora TalitaGermano conquista
cinturão do Rio Kombat Kick-
boxing para Nova Odessa.
{Pág. 05}
Da Redação
A fiscalização sobre a
qualidade dos combustíveis
comercializados em postos
de NovaOdessa émotivo de
requerimento do vereador
Sebastião Gomes dos San-
tos, oTiãozinho (MDB). Esta
semana o parlamentar teve
aprovado documento no
qual pede informações da
Prefeitura a respeito da lei
que dispõe sobre a cassação
de alvará de funcionamento
dos estabelecimentos onde
ocorram casos de adulte-
ração.
O vereador cita que no
ano de 2005, após um tra-
balho de fiscalização reali-
zado pela Agência Nacional
do Petróleo, Gás Natural
e Biocombustíveis (ANP),
houve a autuação de 34
postos revendedores da
região, incluindo um em
Nova Odessa. Tiãozinho
lembra que na época a Câ-
mara aprovou projeto que
deu origem à Lei Municipal
2.114, de 15 de dezembro
de 2005.
A legislação prevê cassar
o alvará ao posto que “ad-
quira, distribua, transporte,
estoque ou revenda deriva-
dos de petróleo, gás natural
e suas frações recuperáveis,
álcool etílico, hidrato carbu-
rante edemais combustíveis
líquidos”, emdesconformi-
» FISCALIZAÇÃO
Qualidade de combustíveis em postos
gera requerimento em Nova Odessa
dade com as especificações
do órgão regulador compe-
tente. A norma estabelece
ainda que os responsáveis
fiquem proibidos de obter
novo alvará pelo período de
cinco anos.
Tiãozinho quer saber da
fiscalização nos postos de
combustíveis e a qualidade
dos produtos comercia-
lizados à população. “O
questionamento é devido
a algumas reclamações de
pessoas, que uma vez ou
outra se sentem prejudica-
das por postos de combustí-
veis”, justifica o vereador. A
lei que estabelece a cassação
de alvará é de autoria do ve-
reador Ângelo Roberto Rés-
tio, o Nenê Réstio (MDB).
» PÓS-ANHANGUERA
Estado das ruas motivam reclamações
Isabella Uliani
Moradores do bairro chá-
caras Acapulco, em Nova
Odessa, reclamam das más
condições das ruas de terra.
De acordo comeles, quando
chove, a situação fica ainda
pior. “Eu estou pedindo so-
corro, a rua onde eu moro
está abandonada, eu não
consigo sair de casa porque
estou no meio de um lama-
çal”,disseumdosmoradores
da rua das Ágatas.
Ainda segundo ele, com
as ruas esburacadas, não se-
ria possível solicitar socorro
caso fosse necessário. “Eu
tenho idosos naminha casa,
se euprecisar de socorronão
vai ter”, lamentou.
O morador ainda expli-
cou que por conta dos bu-
racos e da lama o local está
intransitável. “Não entra e
nem sai carro nenhum da-
qui, é lamentável pagar um
IPTU tão caro e morar em
um lugar nessas condições”,
contou.
Providências por parte
da administração municipal
foram cobradas pelo mora-
dor. “Alguma coisa tem que
ser feita, não podemos viver
dessa maneira, ao ponto de
nem pode sair de casa”, pe-
diu omunícipe.
Divulgação / JNO
1,2 4,5,6
Powered by FlippingBook