JNO - Jornal de Nova Odessa - page 5

TERÇA-FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2019
PÁG. 5
CIDADE
3363-5808
COLUNA SAÚDE ACONTECE
Perguntas e sugestões podem ser enviadas para
ou para a Avenida Pompeia, 634, conj. 401 - São Paulo, SP - CEP 05022-000
APOIO
Câncer de próstata: previna-se
Câncer de próstata é o tumor que afeta a próstata, glându-
la localizada abaixo da bexiga, e que envolve a uretra, canal
que liga a bexiga ao orifício externo do pênis. É o mais fre-
quente entre os homens, depois do câncer de pele. Embora
seja uma doença comum, por medo ou desconhecimento,
muitos homens preferem não conversar sobre esse assunto.
As estimativas apontam para um risco estimado de 66,12
novos casos a cada 100 mil homens, sendo a segunda causa
de morte por câncer em homens no Brasil, com mais de 14
mil óbitos. Na presença de sinais e sintomas, recomenda-se
a realização de exames.
A doença é confirmada após fazer a biópsia, que é indi-
cada ao encontrar alguma alteração no exame de sangue
(PSA) ou no toque retal.
“A ‘vergonha’ do homem está relacionada ao preconcei-
to em relação ao exame do toque retal. Essa questão leva
tempo para superar. É muito importante a participação da
mulher no processo, mostrando ao companheiro que é um
método de diagnóstico como outro qualquer, bem como in-
sistentes campanhas de prevenção ao câncer de próstata.
Muito pior que os fatores de risco da doença é o diagnóstico
tardio”, destaca dr. Clóvis Constantino, membro da Diretoria
Executiva da Associação Paulista de Medicina (APM).
O câncer de próstata, na maioria dos casos, cresce de forma
lenta, não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar
a saúde do homem. Em outros casos, pode crescer rapida-
mente, se espalhar para outros órgãos e causar a morte.
A próstata
A próstata é uma glândula presente apenas nos homens
e não é responsável pela ereção nem pelo orgasmo. Sua
função é produzir um líquido que compõe parte do sêmen,
que nutre e protege os espermatozoides.
Fatores de risco
Existem alguns fatores que podem aumentar as chances
de um homem desenvolver câncer de próstata. São eles:
■ Idade: no Brasil, a cada dez homens diagnosticados
com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos.
■ Histórico de câncer na família: homens cujo pai, avô
ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60
anos, fazem parte do grupo de risco.
■ Sobrepeso e obesidade
Prevenção
Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verdu-
ras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordu-
ra, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o
risco de câncer. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis são
igualmente recomendados, como fazer, no mínimo, 30 mi-
nutos diários de atividade física, manter o peso adequado à
altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.
Sinais e sintomas do câncer de próstata
Na fase inicial, o câncer de próstata pode não apresentar
sintomas e, quando apresenta, os mais comuns são:
■ dificuldade de urinar;
■ demora em começar e terminar de urinar;
■ sangue na urina;
■ diminuição do jato de urina;
■ necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.
Fonte: Ministério da Saúde
XVII Congresso Paulista de Medicina do Sono
Em 2020, o mês de maio será marcado por mais um Con-
gresso Paulista deMedicina do Sono. Realizado pela Associação
Paulista de Medicina (APM), o evento já está na sua 18ª edição
e acontece entre os dias 01 e 02. O objetivo é promover a atua-
lização científica nas mais recentes descobertas em pesquisas
e diretrizes nos tratamentos relacionados ao distúrbio do sono.
O congresso reunirá profissionais reconhecidos da área que de-
baterão sobre diversos temas como narcolepsia, síndrome das
pernas inquietas e distúrbios respiratórios do sono em adultos
e crianças. Saiba mais em
associacaopaulistamedicina.org.br
Arrastão de combate à dengue
vistoria 7,1 mil imóveis em
15 bairros de Nova Odessa
» VISITA
Da Redação
O Setor de Zoonoses de
Nova Odessa, vinculado
à Secretaria de Saúde do
município, encerrou no
último final de semana
os arrastões de combate à
dengue programados para
2019. Balanço divulgado
nesta segunda-feira (9) pelo
órgão revela que foramvisi-
tados 7.178 imóveis em 24
sábados de trabalho. Foram
recolhidos 51 caminhões
de potenciais criadouros do
mosquito Aedes aegypti em
15 bairros percorridos.
Os arrastões são realiza-
dos aos sábados e envolvem
13 funcionários da Prefei-
tura. São escolhidos para
as operações bairros com
casos confirmados da do-
ença. Segundo a coordena-
dora do Setor de Zoonoses,
a veterinária Paula Faciulli,
os campeões de criadouros
domosquito transmissor da
dengue este ano foram os
jardins Alvorada (12 cami-
nhões recolhidos), São Jorge
e Campos Verdes, com seis
caminhões cada.
Entre os dias 12 de janei-
ro e 7 de dezembro. foram
mais de 1,3 mil imóveis
visitados noAlvorada, 1.095
no São Jorge, 927 no São
Manoel e 567 no Campos
Verdes, além de outros 3,3
mil em 11 bairros. “Os cria-
douros mais comuns nos
imóveis vistoriados foram
tambores com água e ralos
de quintal”, explicou Paula
Faciulli.
O secretário de Saúde,
Vanderlei Cocato, destacou
a importância dos arrastões
e pediu a colaboração da
população. “É um trabalho
fundamental no combate
à dengue. É claro que ele é
combinado com uma série
de outras ações, como visi-
tas casa a casa, emempresas
e umforte trabalho de cons-
cientização nas escolas do
município. Mas, para que
possamos vencer a guerra
contra o mosquito, preci-
samos do envolvimento de
toda a sociedade, eliminan-
do qualquer possibilidade
de criadouro em suas resi-
dências”, afirmou Cocato.
Os arrastões aos sábados
para eliminação de pos-
síveis criadouros do mos-
quito Aedes aegypti serão
retomados em janeiro. De
acordo com números da
Vigilância Epidemiológica,
já foram notificados 1.642
casos no município este
ano, com 923 confirmados.
Tiãozinho discute implantação de cursos de
Primeiros Socorros emescolas domunicípio
» PREVENÇÃO
Da Redação
Overeador SebastiãoGo-
mes dos Santos, o Tiãozinho
(MDB),discuteaaplicaçãoda
LeiMunicipal 2.744/2013, de
sua autoria, que trata sobre
a implantação do Curso de
Treinamento em Primeiros
Socorros para os profissio-
nais da rede de ensino em
NovaOdessa.Nestasegunda-
feira (dia9) elesereuniucom
a diretora de Gestão Peda-
gógica e Educação Especial,
Érika Salazar Sanches.
“Nos últimos tempos está
tendobastantedebates sobre
a chamada ‘Lei Lucas’, mas
em 2013 já havia feito um
projetode lei desse assunto”,
recorda Tiãozinho. Agora o
vereador discute a aplicação
da lei, atravésde treinamento
deprofissionaisdaEducação.
“É importante ter pessoas
comnoçõesdeprimeiros so-
corros,paraquenãoocorram
mortes que poderiam ser
evitadas”, detalha.
A ‘Lei Lucas’ a que se re-
fere o vereador teve origem
após uma cidadã de Cam-
pinas (Alessandra Zamora)
perder o único filho – então
com 10 anos – no ano de
2017, engasgado com um
pedaço de salsicha ao ingerir
umcachorro-quentedurante
um passeio promovido pela
escola. A mãe então iniciou
uma campanha para obrigar
que as escolas ofereçamcur-
sosdeprimeiros socorrosaos
funcionários.
A lei de autoria do vere-
ador novaodessense deter-
mina que os servidores e
empregados das unidades
escolares a serem treinados
em primeiros socorros se-
jam designados por critério
exclusivo da direção da uni-
dade de ensino escolar, res-
peitando-se os horários das
atividades escolares. Cada
unidade de ensino deverá
manter, no mínimo, dois
funcionários treinados por
período da atividade escolar.
“Tivemos essa reunião
e fizemos uma estrutura
pra organizar no próximo
ano letivo. Em 2020 terão
palestras em todas as unida-
des sobre o tema ‘Primeiros
Socorros’. Para atender não
apenas aos profissionais da
Educação, mas também as
famílias”, revela Erika San-
ches. “Organizaremhorários
que as famílias possamestar
presentes, atendendo a um
maior número de pessoas”,
completa a dirigente.
Divulgação / JNO
Divulgação / JNO
1,2,3,4 6
Powered by FlippingBook