JNO - Jornal de Nova Odessa - page 2

QUINTA-FEIRA, 04 DE ABRIL DE 2019
PÁG. 2
em cena
SAÚDE
Na manhã de ontem, dia 3, o secretario
Vanderlei Cocato vistoriou as obras das
UBS’s do jardim São Manoel e do São
Jorge, em suas redes sociais o secretário
justificou os transtornos causados pelas
obras,masgarantiuque tudoéparauma
melhoria. “Comecei aquarta-feiravisto-
riando o andamento das obras de refor-
ma da UBS do jardimSãoManoel e UBS
doSão Jorge. Todaobragera transtornos,
ainda mais em uma unidade de saúde,
mas podem ter certeza que o resultado
vai ser bompara todos. Os funcionários
vão ter um ambiente melhor para tra-
balhar e os pacientes um serviço mais
estruturado”, escreveu Cocato.
FACILIDADE
A Câmara de Nova Odessa aprovou esta
semana o projeto de lei que autoriza a
criação de novo PRD (Programa de Re-
gularização de Débito), uma ferramenta
para que os contribuintes possampagar
tributos atrasados em condições mais
atrativas. A Prefeitura está lançando o
novo programa atendendo a umpedido
do vereador e presidente da Câmara,
Vagner Barilon, ao prefeito Benjamim
Bill Vieira de Souza.
INTERESSADOS
A adesão ao PRD poderá ser solicitada a
partir da próxima segunda-feira, dia 8, e
até o dia 24 de maio deste ano. Sua ho-
mologação se dará com a compensação
do pagamento da primeira parcela. Os
contribuintes devem procurar a Central
de Atendimento, que funciona no Paço
Municipal, de segunda a sexta-feira, das
8h às 16h. Poderão ser negociados os
débitos de IPTU (Imposto Predial e Ter-
ritorial Urbano), ISSQN (Imposto Sobre
Serviços de Qualquer Natureza), taxas e
contribuições diversas geradas até 31 de
dezembro de 2018, inscritos na Dívida
Ativa, e mesmo aqueles que são alvo de
discussão judicial.
PARCERIA
OvereadorAvelinoXavierAlves,oPoneis
(PSDB), teve aprovadonesta semanaum
requerimento no qual solicita informa-
çõesdaPrefeituraa respeitodapossibili-
dadedecelebrarparceriacoma iniciativa
privada para a reativação das piscinas
públicas ‘Edmundo Corteze’, que per-
tencem ao Complexo Poliesportivo do
GinásioMunicipal ‘JaimeNércioDuarte’,
no jardim Santa Rosa. O vereador agora
quer saber da Administração Municipal
como está a busca por parceiros, para a
manutençãodo local eopossível retorno
das piscinas públicas.
TREM INTERCIDADES
Emaudiênciarealizadanamanhãdeon-
tem, o Ministro da Infraestrutura, Tarcí-
sioGomesdeFreitas,dissequeogoverno
Federal vai impora implantaçãodoTrem
Intercidadesna articulaçãocomaRumo
Logística. Amanifestaçãodada aodepu-
tado Vanderlei Macris (PSDB-SP), autor
do pedido de audiência na Comissão
de Viação e Transportes da Câmara dos
Deputados.Napróxima semanaTarcísio
de Freitas se reunirá com o governador
João Doria em São Paulo para tratar do
trem. O deputado Macris confirmou
participação na reunião.
CHARGE
O Lado Perverso do Face
Renato Nalini
desembargador, reitor da
Uniregistral, palestrante e
conferencista.
A
s o c i e dade
contempo-
rânea resol-
veu escanca-
rar-se e in-
vestir na transparência
e na exibição, em detri-
mento da privacidade.
Esta perde de lavada no
cotejo com a publici-
dade, considerada uma
virtude republicana.
As redes sociais se
beneficiam dessa ten-
dência. Proliferam os
perfis disseminados e
exaustivamente apre-
goados nos vários ins-
trumentos de que hoje
dispomos de comparti-
lhar nossa vida, nossos
hábitos, nossos gostos e
preferências.
Isso é bom?Há quem
responda afirmativa-
mente. Só existe solidão,
hoje, para quem quer.
Quem não quiser, ar-
rebanha milhares de
“amigos” virtuais. E fica
naquela dependência que
muitos já experimenta-
mos, de verificar se chegou
mensagem, se conseguimos
mais um seguidor, se esta-
mos nos tornando alguém
em quem se deva prestar
atenção.
O Facebook, talvez a
mais conhecida via de se
relacionar digitalmente,
tambémveicula boas men-
sagens. Ajuda a motivar
pessoas a fazerem o bem.
Todavia, como quase tudo
nesta vida, tem seus aspec-
tos negativos. Um deles é o
comércio ilegal de animais
silvestres, que ganhou im-
pulso com a venda virtual
de espécies em extinção e
outras também raras.
O IBAMA – Instituto
Brasileiro doMeio Ambien-
te, constatou emnovembro
de 2015, que a Linha Verde
de sua Ouvidoria recebera
170 denúncias de venda
ilegal de animais, enquanto
em 2014 eram 60. Dentre
as denúncias de ilega-
lidade perpetrada em
relação à fauna, 95%
provinhamde anúncios
no Facebook. Houve
verdadeira explosão en-
tre 2016 e 2017. Cerca
de 1.300 animais foram
oferecidos à venda em
suas páginas, 85% dos
quais em cativeiro e em
30% das hipóteses, a
venda foi confirmada.
Muitos desses ani-
mais constam da Con-
venção sobre Comércio
Internacional de Espé-
cies da Flora e Fauna
Selvagem em Perigo de
Extinção e outros esta-
vamsendo introduzidos
no Brasil fora de sua área
de ocorrência.
Reclama o IBAMA
que o Facebook não se
preocupa com isso. O
outro lado diz que sem-
pre colabora com as
autoridades brasileiras e
age imediatamente, reti-
rando do ar páginas que
são alvo de denúncia.
O mais trági-
co é que haja pesso-
as prontas a aprisionar
animais que deveriam
estar em liberdade. Que
se servem deles para
ganhar dinheiro não os
considerem tão dignos
de uma existência livre
como outras espécies,
inclusive aquela que,
pretensiosamente, se
autodenomina racional.
Dentre as denúncias de
ilegalidade perpetrada
em relação à fauna, 95%
provinhamde anúncios
no Facebook. Houve
verdadeira explosão
entre 2016 e 2017.
Você está drogando seu filho e não sabe
Leonardo Torres
palestrante, professor e
doutorando em Comunicação
e Cultura Midiática.
M
uitos pais ain-
da achamque
os aparelhos
eletrônicos
são inofensi-
vos e até auxiliamno desen-
volvimento de seus filhos.
Sempre escutamos aquela
frase: “ele tem somente 2
anos e já sabemexer emtudo
no celular”.
O tempo de mastreia no
uso de qualquer coisa é o
tempo de treino. Desde pe-
quenos, estamos usando
maisemaisaparelhoseletrô-
nicos. As últimas pesquisas
demonstramque utilizamos
os aparelhos cercade9horas
por dia. E quando aponto os
números nas salas de aula,
meusalunosacabamfalando
que a pesquisa está errada,
queelesutilizammuitomais.
A verdade é que colocar
um aparelho eletrônico na
mão de uma criança é um
alívio para os pais, vovós,
babás, etc.. E quando eles
percebem que a criança se
viciou nos aparelhos, é tarde
demais, já que essa prática
começa logo na terna infân-
cia. Começamuitas vezes até
comqualquer choro.
O problema é que hoje,
assim como o mundo fora
de casa anda perigoso, o
mundo dentro de casa, ou
seja, o virtual, o da internet,
também pode prejudicar
a integridade psicológica e
física de nossos filhos. Eles
estão cada vez mais influen-
ciados por conteúdos que
nãosãocontroláveisemuitas
vezes perigosos. Omassacre
de Suzano, por exemplo, foi
totalmente viabilizado por
meioda internet.Osdesafios
da Baleia Azul, da boneca
Momo, entreoutros, alémde
afetarem psicologicamente
uma criança, podem levá-la
à morte.
Quando se coloca um
aparelho nas mãos de uma
criança, ela para de chorar,
de correr, de ser peralta, pois
osaparelhoseletrônicoscau-
samomesmoefeitoqueuma
droga pré-operatória deno-
minada midazolan. Ou seja,
interrompe-se seudesenvol-
vimento e aprendizado, que
passa por essas estripulias.
Cria-se um anestesiamento
na criança. Porém, assim
como qualquer droga, vicia,
causandoperdadememória,
dificuldadedeconcentração,
de foco, desinteresse por
outros estímulos...falta de
interação social e, psicolo-
gicamente, gera depressão,
ansiedade, pânico, etc..
A culpa não é somente
dos pais, nem das crianças,
masprincipalmentedecomo
estamos vivendo. Parece que
asociedadeeomercadoque-
rem que os pais cuidem dos
filhos como se não tivessem
trabalho e trabalhem como
se não tivessem filhos. Os
direitos de maternidade e
paternidade são escassos
aqui no Brasil.
A perspectiva igualitária
é importante, ou seja, o pai
e a mãe devem combinar,
a fim de cuidar dos filhos
igualmente e se disponibi-
lizar igualmente. Isso não
pode ser desculpa para um
patriarcado escondido na
famosa frase: “eu trabalho e
você cuida dos filhos”.
Publicidade midiática, a “viralização”
digital e seus riscos
Gustavo Milaré e
João Pedro
Alves Pinto
advogados.
N
os últimos dias,
um anúnc i o
publicitário foi
veiculado nas
mídias sociais,
sobretudo no YouTube, en-
volvendo uma jovem de 22
anos de idade que afirmou
ter acumulado mais de R$
1 milhão em três anos, par-
tindo de um investimento
de R$ 1.520,00 e garantindo
que qualquer pessoa que
replicasse suaestratégia teria
resultadosproporcionais.No
entanto,oanúncionãorevela
quantas, nem quais ações
a jovem teria investido, o
que gerou a insatisfação por
parte dos internautas, que
encararam sua fala como
publicidade enganosa.
Entretanto, oefeito inicial
da empresa foi atingido, o de
“viralizar” a sua mensagem
pelosdiversoscanaisdigitais.
A “viralização” do vídeo e o
seu conteúdo polêmico não
demorouachamaraatenção
dos órgãos de proteção do
consumidorederegulamen-
tação publicitária.
O Procon de São Paulo
notificou a empresa res-
ponsável pela divulgação
da campanha publicitária,
solicitandoaapresentaçãode
documentosquecomprovas-
semaveracidadedoanúncio
e a evolução financeira da
jovem, sob pena de ser clas-
sificada como publicidade
enganosa, prática proibida
pela lei brasileira.
Já o Conselho Nacional
de Autorregulamentação
Publicitária (CONAR) estu-
da o caso e, de acordo com
suas diretrizes, todo e qual-
quer anúncio que trate de
investimentos no mercado
financeiro e que contenha
projeção ou estimativa de
resultados futuros deve es-
clarecer em quais bases foi
realizada tal projeção ou
estimativa, além de fornecer
todos os esclarecimentos
para a tomada de uma de-
cisão criteriosa e consciente.
De acordo com o Código
de Defesa do Consumidor,
é considerada enganosa a
publicidade que deixar de
informar sobre dado essen-
cial do produto ou serviço.
E, caso assim considerada,
poderá gerar, dentre outras
consequências,pesadamulta
para a empresa.
A experiência demonstra
que é sempremelhor aguar-
dar aapuraçãodos fatospara
comentar, mas o referido
vídeo bem mostra o poder
que a publicidade, enganosa
ounão, temnosdias atuais e,
consequentemente, os riscos
que trazem consigo.
TRISSEMANÁRIO
(terças, quintas e sábados)
Acesse nosso site
Diretor responsável
Aparecido José Gielfi
Escritório, Redação e Parque Gráfico
Rua Rio Branco, 1220 - Santa Rosa,
Nova Odessa - CEP 13.385-052
Fale conosco
Tel.:
(019) 3466-2519
E-mail:
Fundado em 23/01/1993
«
As cartas e os artigos não
representam, necessariamente,
a opinião do jornal. A inclusão
visa acima de tudo, estimular o
debate sobre os mais variados
assuntos e proporcionar aos
leitores opiniões diversas.
»
Filiado
1 3,4,5,6,7,8
Powered by FlippingBook