Page 5 - 22-05-14

Basic HTML Version

P
OLÍCIA
Quinta-feira, 22 de maio de 2014
página
5
Convites à venda com Voluntários, Pituquinha Modas,
e na APAE pelo fone 3466-1391
BOI NO ROLETE
Dia 25/Maio/2014
Bingo a partir das 10h00
Almoço a partir das 12h30
Carnes de Boi, Carneiro e Porco -
Arroz, Feijão
Tropeiro, Salpicão, Salada Verde, Mandioca e Abacaxi
EDUCAÇÃO INFANTIL
Professora é suspeita de abusar de criança de três anos
Rodrigo Paneghine
Da SSP
--------------------------------------
A Polícia Militar dete-
ve sete pessoas - entre elas,
um foragido da Justiça - du-
rante fiscalização na rodovia
Edgar Máximo Zamboto (SP-
354), em Jarinu, a 76 quilô-
metros de São Paulo. Outros
dois homens estavam com pis-
tolas.
Por volta das 3h30 de
terça-feira, patrulheiros do
Paulo Medina
paulomedina@jno.com.br
--------------------------------------
Três jovens foram pre-
sos em flagrante por guardas
civis municipais na noite de
segunda-feira após invadirem
uma casa em fase de acaba-
mento e furtarem um com-
pressor de ar e 400 metros de
cabos elétricos. O pintor
J.D.A., de 19 anos, o opera-
dor de máquinas T.E.S., 18, e
o ajudante geral L.F.S., 20,
foram flagrados saindo de um
terreno baldio do jardim Ma-
ria Helena. Envolvido no cri-
me, um garoto de 17 anos foi
apreendido.
De acordo com boletim
de ocorrência, os guardas da
Ronda Ostensiva Municipal
(Romu) receberam denúncia
de que quatro rapazes estavam
em um Gol branco na rua Ru-
bens Perez e haviam entrado
JARINU
Polícia detém sete por porte ilegal de arma
Tático Ostensivo Rodoviário
(TOR), da 2ª Companhia do
4ª Batalhão de Policiamento
Rodoviário (4º BPRv), des-
confiaram de um carro com
sete pessoas. Os PMs decidi-
ram abordar o veículo e vis-
toriá-lo. O passageiro W.B.
levava um revólver calibre 38
sem numeração e com seis
balas. R.O.S. estava com uma
pistola, também sem número,
e carregada.
R.O.S. tentou enganar
os policiais mostrando uma
CNH falsa, porém foi desco-
berto. Ele foi identificado
como foragido do Centro de
Progressão Penitenciária
(CPP) de São José do Rio Pre-
to, desde dezembro de 2013.
Ainda foram detidos o moto-
rista do carro L.C.R., C.E.S.,
L.G.O., W.B.R. e L.L. Dentro
do veículo foram encontrados
dez celulares, um GPS, docu-
mentos de outro carro, uma
luva de boxe, um relógio de
pulso, R$ 767 e U$ 100.
O grupo foi levado à
Delegacia de Investigações
Gerais (DIG) de Jundiaí,
onde o caso foi registrado
como porte de arma, forma-
ção de quadrilha, associação
criminosa, recaptura de fugi-
tivo e uso de documento fal-
so. A Polícia Civil investiga
agora a origem dos celulares
e possíveis outros crimes em
que os indiciados estejam en-
volvidos.
FURTO
Trio invade casa em construção e acaba preso
em um terreno baldio.
Em patrulhamento, por
volta das 19h50, os guardas
flagraram o quarteto sujo de
tinta saindo do local, realiza-
ram a abordagem e encontra-
ram o compressor e sacos que
embalavam os cabos.
Conforme os patrulhei-
ros, entre o muro do terreno e
a casa em construção, instala-
da na rua Antonio Julio Fer-
reira de Campos, eles locali-
zaram uma corda ao lado de
fora e uma escada na parte de
dentro do imóvel.
Em meio a uma varre-
dura pela residência em fase
de acabamento, guardas ve-
rificaram marcas de pés na
parede.
Além dos objetos, a
Romu apreendeu ainda dois
cigarros de maconha dentro
do carro do operador.
O quarteto foi levado
para a Delegacia de Polícia de
Nova Odessa. Comunicado, o
proprietário da casa, de 39
anos, se dirigiu ao Plantão
Policial acompanhado do pin-
tor que realiza o acabamento
da obra e reconheceu os ob-
jetos.
Os integrantes da qua-
drilha moram nos jardins Fló-
rida, São Jorge, Santa Rosa e
vila Azenha. O menor foi li-
berado para a responsável,
enquanto os colegas foram
encaminhados para a cadeia
pública de Sumaré.
Vendas na sede, rua Celeste Cerezer Paulão, 101, Santa Luiza II,
Nova Odessa. Contatos 3466-5774 / 3476-3043 / 99757-8175
Paulo Medina
paulomedina@jno.com.br
--------------------------------------
Uma menina de três
anos afirmou aos pais ter sido
“tocada” por uma professora
de uma creche pública de
Nova Odessa. A criança, do
jardim Bela Vista, ficava em
período integral na unidade
administrada pela prefeitura.
O caso teria ocorrido em abril,
mas só foi comunicado à po-
lícia em 8 de maio. A Polícia
Civil instaurou inquérito e in-
vestiga a denúncia como es-
tupro de vulnerável. Os rela-
tos foram remetidos ao Minis-
tério Público.
Segundo a mãe de 27
anos, a criança chegou em
casa algumas vezes com “ir-
ritações” na genitália. “A prin-
cípio não dei muita atenção
para o fato”, disse a mãe, que
trabalha em dois períodos. Ela
afirmou que durante a greve
dos servidores públicos muni-
cipais (quando a escola per-
maneceu fechada), as marcas
avermelhadas no corpo da
menina não mais apareceram.
Contudo, após o retor-
no das aulas, em 14 de abril, a
criança voltou para casa com
as chamadas “irritações”.
Para tentar entender o
caso, a mãe pediu à filha que
se lembrasse do ocorrido na
unidade. A criança respondeu
que uma professora “tocava”
em várias partes de seu cor-
po. “Tirei meus dois filhos da
creche porque não confio
mais.Agora tenho que me des-
dobrar, o pai precisou sair do
emprego para ajudar (a cuidar
dos filhos). A gente depende
da creche para poder trabalhar
e dar uma vida melhor às cri-
anças e essa é a educação que
Nova Odessa tem a ofere-
cer?”, questionou a mãe, que
mora há cerca de seis meses
na cidade.
O Conselho Tutelar foi
contatado e a menina já pas-
sou por avaliação psicológica
por meio da Secretaria Muni-
cipal de Educação. O Minis-
tério Público também foi co-
municado.
APolícia Civil determi-
nou a identificação dos funci-
onários que cuidam da meni-
na e requisitou exame de cor-
po de delito de conjunção car-
nal ou ato libidinoso.
“Instauramos inquérito
policial para apurar o fato”,
resumiu o delegado titular
Luís Carlos Gazarini ao dizer
que não comentaria o caso
devido ao sigilo das investi-
gações.
O conselho editorial do
Jornal de Nova Odessa
deci-
diu manter sob sigilo o nome
dos envolvidos – inclusive da
creche denunciada – até o tér-
mino das investigações.
Questionada sobre o
resultado do laudo psicológi-
co da menina, a Secretaria de
Educação informou tratar o
caso com “muita cautela”.
“Todos os procedimentos in-
ternos foram adotados para
preservar tanto a criança e sua
família, quanto os servidores,
que por enquanto são apenas
partes envolvidas em um fato
ainda não comprovado”.
A assessoria de comu-
nicação disse ainda que a pre-
feitura decretou sigilo no pro-
cesso administrativo e, por
isso, não poderá fornecer in-
formações.
Após criança chegar em casa com marcas
na genitália, mãe levou caso à polícia
Divulgação
/JNO
Arquivo
/JNO
Divulgação
/JNO